segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Quatro meses

 O quintal nas traseiras da casa

Cheguei em Setembro e estava tudo verdinho, como eu. Cheguei quase no fim do mês, mas aqueles foram dias de descobertas intensas e marcantes.

Paragem de autocarro da Major Mackenzie

Outubro começou atribulado e trabalhoso, pela graça de Deus. Sem recursos e sem garantias, vi as portas do mestrado abrirem-se, os dinheiros necessários cairem do céu e as mais lindas cores de Outono tomarem lugar. 

Passeio na Woodbine

Depois veio Novembro, com o frio a apertar e as árvores desprovidas de vestimentas. Foi no dia 19 que o Senhor resolveu esta aventura: o meu visto de estudante chegou positivo, com muitas lágrimas e abraços, num estabelecimento de beleza.

A parte da frente do quintal da casa

Dezembro trouxe a neve, e com ela as tempestades, o trânsito sem fim e as falhas de energia (por fora e por dentro). Foi um mês especialmente duro, mas de uma beleza ímpar. Um mês de esperar em Deus por todas as coisas impossíveis que Ele prometeu.

Ballyconnor, chegada ao Tyndale

Janeiro trouxe de volta a escola, os livros, os trabalhos, as andanças e o sustento. E hoje (que aqui ainda é dia 27), completo quatro meses de ter largado uma vida cheia de tudo o que eu planeei para abraçar uma outra, cheia do que Deus planeou.


3 comentários:

Priscila disse...

«3

Ana Rute Oliveira Cavaco disse...

uau!

sara f disse...

que relato bonito. que imagens lindas. as próprias imagens destilam esperança